segunda-feira, 29 de novembro de 2010

NASA - Houston


Como eu já sabia que a NASA está localizada em Houston, queria conhecer. O problema é que a previsão era de chuva, mas mesmo assim arriscamos e acabou que nem choveu.
É que na NASA, tem uma parte que é externa, então se chover, o passeio de trem com paradas vai literalmente por água abaixo.
Foi muito legal o passeio, conheci o foguete que realmente foi a Lua, o Saturn V usado nas missões Apollo e Skylab. Nossa, a parte inferior tem muitos parafusos e caninhos. Como é que pode alguém ter pensado em tudo aquilo. A base é muito grande e tudo isso é para armazenar combustível. Haja Combustível!


Saturn V que é dividida em três estágios





Um dos estágios da Saturn V


Tem uma parte explicativa de como o homem vive na Lua, tomar banho, escovar os dentes. Contaram que todos devem fazer duas horas exercícios físicos todos os dias para não atrofiar os músculos. Eles escovam os dentes através de um canudo e nem pense em escovar os dentes ou comer com a boca aberta, senão espalha tudo.
Falando em comida, o trem passou perto do restaurante em que são preparadas as comidas, agora eles comem comida normal, nada daquelas melecas em que ouvíamos falar.


O último estágio da Saturn V


Estive pensando: Como definir a NASA, além de ser a Administração Nacional do Espaço e da Aeronáutica? Não posso dizer que fui ao museu porque tudo ali é real, é muito interessante e é uma aula.
Você para, olha tudo aquilo e se pergunta: Como alguém acredita que o homem não foi à Lua?


Sala de controle da NASA em Houston

 

 

Carro utilizado para explorar a Lua

 

 

Pois é, o mais engraçado é que tem um astronauta que foi à Lua, mas não pisou nela. O astronauta Michael Collins teve que ficar no controle espacial e não pisou na Lua. O primeiro a pisar na Lua foi Neil Armstrong na missão da Apollo 11 em julho de 1969.


As cabines são muuuito pequenas e todo aquele foguete que a gente vê é só para o combustível mesmo. Muitos astronautas vão somente para ficar no controle.
Mas se o problema é pisar na Lua, não tem mais problema. Na NASA tem um local em que você pode tocar na Lua. É um pequeno quadrado que você pode tocar. A sensação? A Lua é dura...hahaha


Tocando um pedaço da Lua


Fui também a um galpão em que fazem os treinamentos e descobri algo curioso. Lá tem uma espécie de uns “carrinhos”. Esses “carrinhos” estavam programados para ir a Lua em 2020, mas por conta da crise, só vão em 2030. Essa ida seria a Marte usando a Lua como apoio. Como? Esperar até 2030.
Por conta da crise precisaram cortar um pouco da verba e como o Estado do Texas é republicano e o Obama é democrático... Entenderam, né?


Sala de treinamento do foguete em tamanho real


O equipamento que será usado na exploração de Marte, prevista para 2030


Outro ponto interessante é que um mês atrás eu dormi na casa da Judy e assistimos a um filme sobre um garoto que desenvolveu um combustível líquido de foguete e na linha cronológica da NASA, lá estava ele, o Dr. Robert H. Goddard. Ele é creditado como pioneiro na criação e construção do primeiro combustível líquido de foguete, que ele lançou com sucesso em 16 de março, 1926.


Cronologia da corrida espacial


Goddard e sua equipe lançaram 34 foguetes entre 1926 e 1941, atingindo altitudes de até 2,6 km (1,62 milhas) e velocidades de até 885 quilômetros por hora (5550 mph).


Robert H. Goddard


O filme October Sky (O céu de Outubro) conta a trajetória de Goddard e seus amigos enfrentando seus pais e toda a cidade que não acreditavam na capacidade dos meninos.
Abaixo está o trailer do filme. 




Além do passeio, agora sou membro da NASA também. Tirei uma carteirinha lá que me dá o direito de visitar quando quiser. Mas acho que não volto a Houston tão cedo. Mas a passagem por lá foi boa.
A passagem por Houston terminou com um farto almoço com picanha e muita troca de figurinhas. A Lidya recentemente foi a Europa e me mostrou umas fotos de Veneza, Florença, Paris, New York, Grécia e Amsterdam. Teve muita história pra contar.

Nem a Snowy resiste a uma picanha

Eles foram a New York às vésperas de Natal e disseram que é a cidade mais bonita que já viram com as decorações, ganhando até mesmo de Londres que tem a tradição natalina. Fica a dica para quem está a fim de vir à New York.


Depois da viagem a Houston, teve o feriado, o famoso e super comemorado Thanksgiving.











domingo, 28 de novembro de 2010

Houston, Texas english version

Houston, Texas

Domingão em casa, finalmente. Só assim para eu conseguir escrever no BLOG. Final de semana retrasado foi bem agitado, começando na quinta-feira com a minha ida ao cabeleireiro.  Já estava precisando cortar as madeixas, desde julho que eu não cortava e já estava ficando feio.
Fui de cara e coragem, ou melhor, cabelos...heheh. A minha amiga Judy até me indicou uma, mas um pouco longe de casa. Então dei uma fuçada no Google e por conta e risco fui a uma que por sinal me atendeu muito bem.
Atenderam-me na hora certa, 17:30, ela gastou duas horas lavando, cortando e secando meu cabelo. Eu já estava ficando cansada, mas o resultado valeu a pena. Cabelos mais leves e brilhosos. O preço: R$40 reais.
O engraçado é que quando marquei com ela, eu ficava perguntando o preço para confirmar, estava com medo de depois de ela cortar, ser outro preço. Hehehe
            Na sexta-feira, malas prontas! Próximo destino: Houston, no Estado do Texas.
            Fomos ouvindo rádio no carro e nem foi preciso olhar as placas, as músicas estilo Country já anunciavam a chegada. Pareciam até aqueles filmes de Faroeste, as músicas, viagem, foi muito legal fazer novos amigos.
            Antes de chegar a Houston, demos uma paradinha para jantar no meu favorito restaurante nos EUA, o The Cheesecake Factory, que pra mim é onde vende a melhor sobremesa. Muito bom!
Bandeira do Texas
Houston é bem grande, é o equivalente a meia São Paulo e é a quarta maior cidade dos Estados Unidos da América e a maior cidade do estado do Texas. O apelido do Texas é Lone Star State, por causa da estrela solitária na bandeira. A palavra Texas deriva de Tejas, uma palavra indígena que significa "amigos". É maior do que a Alemanha e a Polônia juntas. 
Comercialmente, Houston é classificada como uma cidade global e sua área é um importante centro na construção de equipamentos petroleiros. E a família que eu visitei, O Eric e a Lidya, é justamente uma família dona de uma companhia que desenvolve softwares para explorar poços de petróleo.
Houston é uma cidade bem rica, basta perceber a infra-estrutura, as várias pontes e viadutos. Além de ser uma cidade bonita, oferece muitas coisas dia e noite e meus dias lá foram bem agitados.
Cheguei de manhã em Houston e conheci o Eric e a Lidya, um casal super fofo. Essa temporada tem sido especial para conhecer gente, adoro gente. Tenho aprendido a respeitar os costumes, a compreender melhor as pessoas e a respeitá-las, aceitar que somos diferentes, cada um com uma característica ímpar, ser o que somos e conviver bem com essa ideia.
Fomos então almoçar em um restaurante chinês. Acabei-me de tanto comer sushi. Hehehe. Depois, me levaram ao Museu de História Natural, e tive uma aula sobre petróleo, não entendi perfeitamente como um engenheiro entenderia, mas foi muito bacana.

Parque em Houston

Descobri que existem diferentes cores de petróleo, marrom, verde, preto e até mesmo vermelho como os da Arábia. O petróleo da Arábia é muito invejado porque é mais fácil de refinar. É um petróleo leve.



Parque em Houston

Como futura jornalista que sou, perguntei tudo sobre a questão do derramamento de petróleo no Golfo do México e também sobre o petróleo no pré-sal. Isso dá uma ótima reportagem....hehhehe
Em frente a esse Museu de História Natural, tem um parque lindo, bem cenográfico, onde as noivas costumam ir tirar fotos. Tinha noiva para todo lado. Bom essa parte, a gente pula, casamento, acho que está longe...heheheh

Museu de História Natural


Agora, tem uma parte bem deliciosa, o café-da-tarde no Reagles, esse foi bom. Lá tem uma sobremesa que é campeã de concursos, é um pudim diferente, com chocolate branco embaixo, mas não chega a ser enjoativo e estava um friozinho. Combinação perfeita. Muuuito bom!!!
Em frente a esse café, tem uma loja inglesa, que vende logicamente produtos ingleses. Eles não comemoram o Natal americano, mas sim o inglês porque o Eric é de família inglesa. Eles compraram então uns bolos diferentes, me deu até água na boca. É um bolo encharcado de bebida alcoólica, bem forte, mas faz parte da tradição deles.
Nessa loja, eu me lembrei da minha tia Verinha, tinha cada louça linda, com desenhos bem trabalhados, um luxo. Ah nosso café-da-tarde!!!
Depois de tanto comer, fomos ao supermercado e para matar a minha curiosidade e saudade, nos EUA existe picaaaaaanhaa!!! É só saber pedir, oras. Acontece que aqui eles tiram a parte do top sirloin e deixam a picanha de fora para misturar com outras carnes como a alcatra.
Atenção brasileiros nos EUA!!! Para pedir picanha, diga que você quer “Try Tip of the Sirloin” e não se esqueçam de dizer que você quer a gordura junto.
            Já volto para contar meu domingo tipicamente brasileiro...hehehe





           

Elections 2010


One of the subjects that I have been watching in the media helps me to American understand politics, because the American people went to the ballot box as the Brazilian people did in the same week.
For months, the media has been reporting on the crisis which Obama is having in his party. The result of this crisis was felt after midterm elections.
To understand better, the USA has two parties. Republicans are conservative and Democrats are liberals. Obama is a democrat. Most of the USA people are Republicans.
When Obama slated to be President, the economic crisis was just in the beginning and after two years, the economic crisis is still in the headlines. The American people are not happy because they did not feel big differences in their lives and they want more great jobs, the most of the jobs that was lost.
One of the Obama´s objectives is health care plan. In the USA, health insurance is private and Obama wants all people to have health insurance and for employers to have plans for the employees. But how can they pay for the health care plan if the country is reviving from a crisis? American people showed the worth of votes.
Tuesday (11/02) the election happened to choose governors, representatives, senators and judges.
So, Obama was “shellacked” and the Republicans took the Congress. President Obama was sad, but during an interview the following day, he said that he will hear better the republicans and he will continue with his program and he hopes to create more jobs, but he does not know how. The specialists have been debating how taxes can be reduced to stimulate consumption. It is a complicated crisis. In the Congress now, 239 representatives represent the Republican Party and 196 represent the Democrat Party.
I have also compared some differences between Brazil and the USA because the cities are kept clean during campaign and the election coverage is not required on the media.
But I think the fact that the election is debated from afternoon until night on TV is important for understanding politics so one can choose better, instead of airing during daybreak as in Brazil. Also, there are some official times when the candidates talk on the media.
Now I will tell about Brazilian elections which happened in the same week. I do not know very well about this year, but I will comment on a report that I read.
When Dilma Rousseff was elected, I found a report: “Dilma Rousseff: from fugitive guerrilla to Brazil´s new President”.
The report gives a biography of Dilma as a fighter for Brazil's left-wing guerrilla movement in 1969; she went underground, taking on names such as Luiza, Wanda and Estela to avoid the authorities.
With her pixie-short hair style and thick glasses, she became one of Brazil's most wanted fugitives, called a "subversive Joan of Arc."
Charged with subversion by the right-wing military government, she suffered through the disappearance and torture of her Marxist companions, when some of them died.
When the military finally caught her in 1970, Rousseff, 62 years old, said she was severely tortured to tell secrets.
The guerrilla organizations, in which she was involved, such as the National Liberation Command, wanted to take control of the government by force. They took inspiration from the Cuban revolution and other Latin American insurgent groups such as Colombia's FARC. But Rousseff dismisses stories that she knows how to handle an AK-47 and says that she did not commit any violent crimes as the “myths” say.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Eleições 2010

Um dos assuntos que me interessa e tenho acompanho na mídia, me ajudou a entender um pouco melhor sobre política, já que os americanos também tiveram que ir às urnas na mesma semana que os brasileiros.
Meses atrás começaram a mostrar a crise que Obama vem suportando no partido. Isso ficou mais claro durante as eleições para cargos representativos.
Para entender melhor, os EUA só tem dois partidos. Republicanos (cor vermelha) que são de direita, mais conservadores e os Democratas (cor azul), mais liberais, de esquerda.  Obama é do partido dos democratas. A maior parte dos EUA são Republicanos.


Republicanos representados pelo elefante e Democratas representados pelo jumento


Quando o Obama ainda se candidatava a presidente, a crise econômica estava dando seus sinais e já se passaram dois anos e ela continua sendo pauta e capas de revistas. Os americanos não estavam nada contentes, pois em dois anos não sentiram melhoras em suas vidas e cobram que o governo crie novos empregos, e empregos de alto escalão que foram os mais atingidos na época.
Uma das propostas mais radicais de Obama é na área da saúde. Aqui a saúde é privada, não temos o conhecido SUS e o que ele quer é tornar mais fácil o acesso,  para que todos tenham planos de saúde, assim os empresários devem pagar seguro saúde aos funcionários (hoje é facultativo). Mas como pagar plano aos trabalhadores se o país está se reerguendo de uma crise econômica? Os americanos não tem se mostrado satisfeitos com a polítca de Obama e fizeram seu voto valer.
Terça-feira (02/11) aconteceu as eleições para eleger governadores, deputados, senadores e juízes de cada cidade. Sim, os juízes também são eleitos pelo povo.
Então, como dizem, Obama levou uma surra e os deputados republicanos são maioria no congresso. Os republicanos tomaram a casa. O cargo que substitui o presidente na ausência do vice-presidente é chamado "porta-voz da casa" que será agora ocupado por um republicano.
O presidente Obama se mostrou descontente, mas em entrevista coletiva no dia seguinte, disse que ouvirá a oposição e que continuará com suas propostas, sem se esquecer de criar empregos, é claro. Ele só não sabe como.  Tem se discutido diminuir os impostos para que as pessoas tenham poder de compra. É uma crise complicada. Dos 435 deputados, 239 representam o partido republicano, oposto ao Obama.
Obama tem algumas propostas como aumentar os impostos dos ricos e fazer com que o seguro saúde seja obrigatório para todos. Além dessas informações, notei algumas diferenças como a ausência de horários eleitorais obrigatórios e as cidades mais limpas.
O que acho legal é que eu só fiquei sabendo dessas informações porque debatem política em horário nobre, desde as 5 da tarde até às 10 da noite. Acho importante que esses assuntos sejam debatidos durante horários nobres, em vez de colocarem quase de madrugada como faz o Canal Livre, da Band.
Mas vamos falar das eleições do Brasil, já que aconteceu na mesma semana. Não sei dizer muito sobre, mas vou comentar o que li a respeito aqui.
Assim que Dilma foi eleita encontrei uma reportagem cujo título é “Dilma Rousseff: de guerrilheira fugitiva a nova presidente do Brasil”.
Contam uma biografia dela como uma lutadora do movimento do Brasil guerrilheiro de esquerda em 1969, que passou à clandestinidade, tendo nomes como Luiza, Wanda e Estela para evitar as autoridades.
Com o seu estilo de cabelo de duende e óculos de lentes grossas, ela se tornou uma das fugitivas mais procuradas, marcada por alguns como um "subversivo Joan of Arc".
Acusada de subversão pelo governo militar de direita, ela sofreu com o desaparecimento e tortura de seus companheiros marxistas, alguns dos quais morreram.
Quando os militares prenderam-a finalmente, em 1970, Dilma Rousseff, 62 anos, diz que foi severamente torturada.
As organizações de guerrilha com o qual ela estava envolvida, como o Comando de Libertação Nacional, procurou ganhar o controle do governo pela força. Eles se inspiraram na revolução cubana e outros grupos insurgentes da América Latina, como as FARC da Colômbia. Mas Rousseff descarta histórias que ela sabe como lidar com uma AK-47 e que ela cometeu qualquer crime violento como "lendas".
Não me surpreendi muito com essa reportagem, pois vindo dos EUA, eu já imaginava isso.

Os EUA ainda discutem duas questões: A legalização da maconha que não aconteceu e a liberação do aborto.
Volto em breve para comentar essas duas votações.


Respondendo a algumas perguntas sobre Natal, o pessoal começou as decorações após o Helloween. Semana passada já era possível ver a decoração em alguns locais e as propagandas na TV estão a todo vapor.




Ouvir
Ler foneticamente

Observing American media

Chilean miners

I have observed about American view and I will comment on some ideas which I would like to know.
First, the other day my friend Jara asked me about the miners rescue, because I said her that the USA covers South America less than South America covers the USA. Well, the CNN covered every moment of the miners rescue and they showed Obama cheering that success of the operation. The USA lent the machine which dug the hole that rescued the miners. More than 200 countries were covering the incident.

The death of the Argentina´s ex-president Néstor Kirchner

As the focus is on the election in the USA, CNN didn´t spend much time covering death it on the Néstor Kirchner. So, I didn´t watch that CNN covered it and I looked for it on the Internet. I found it, but I think that the USA doesn´t like him.
In the video, a journalist said that the president of Brazil, Lula declared 3 days of official mourn. Friends!
Above the video, there was a report. On the first sheet, the journalist said that Nestor Kirchner, the powerful former leader of Argentina died Wednesday. He told one point, Argentina defaulted on an IMF loan rather than use the country's foreign reserves to pay it, a risky move that ultimately proved to be a great bargaining chip for Kirchner.
Eventually Kirchner renegotiated the country's debt, and paid it all off.
Fernandez, who as cabinet chief had to explain to the media that Argentina would not use its currency reserves to pay the IMF, cites the turnaround of the economic and fiscal health of the country as one of Kirchner's greatest successes. The country went from about $8 billion in reserves when he took office in 2003, to about $50 billion in 2007.
The journalist cited  that Kirchner's openness to develop relations with Venezuela and Cuba, two countries at odds with the United States, and Kirchner's influence on the country remained after his term in office through UNASUR, a regional body created in part to balance out influence from the United States.

Brazil viewed by American people

I would like to know what the American media shows about Brazil. Recently, The New York Times produced a video, with a duration of 6 minutes, about ghettos in Rio de Janeiro and our preoccupation with violence because Brazil will host the World Cup and the Olympics.
I hope that World Cup and Olympics show the best of Brazil.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Observações na mídia americana

  • Mineiros resgatados no Chile

Tenho feito algumas observações sobre as coberturas midiáticas nos EUA e vou comentar algumas que eu sempre quis saber como, o que eles pensam a respeito da América Latina.
Primeiramente, outro dia minha amiga Jara me perguntou a respeito do caso do salvamento dos mineiros no Chile, se havia tido a transmissão ou não, já que eu havia dito anteriormente que a cobertura internacional é superficial.
Pois bem, a CNN transmitiu todos os segundos juntamente ao pronunciamento de Obama torcendo pelo sucesso da operação e comentários de pessoas presentes na CNN. O motivo? Os EUA emprestaram a perfuratriz para fazer o buraco para que nada desse errado. Outro motivo é que mais de 200 países estavam noticiando o salvamento e também resultou numa boa audiência, mas não deixaram de lembrar a importância dos EUA na operação.

  • A morte do ex-presidente da Argentina, Néstor Kirchner

O caso dos mineiros, o mesmo não serve para o ex-presidente da Argentina, Néstor Kirchner, que faleceu semana passada. O foco aqui está nas eleições para cargos representativos (senadores, juízes, governadores), mas voltarei mais tarde para explicar isso. Enfim, acompanhei a CNN bem cedinho, depois liguei a TV novamente na hora do almoço e à noite também. Estranhei que nada tivessem comentado a respeito da morte dele e fui ao site da CNN procurar. Encontrei e me surpreendi com algumas informações.



No site está disponível um vídeo e uma reportagem e pelo que entendi, os americanos não gostam muito de Néstor.
No vídeo o jornalista diz que o Lula declarou três dias de luto oficial, o que se confirma num site brasileiro que fui procurar. Mui amigos!
O mais engraçado é que a jornalista pergunta ao correspondente quando a viúva Cristina volta a trabalhar. hehehheeh
Abaixo do vídeo há uma reportagem. Na primeira linha já começam a dizer que o ex-poderoso presidente da Argentina morreu. É citado também o fato de a Argentina ter dado um calote em um empréstimo do Fundo Monetário Internacional, o FMI (localizado nos EUA), em vez de usar as reservas cambiais do país para pagá-la. O país passou de cerca de US$ 8 bilhões em reservas quando Kirchner assumiu o cargo em 2003, para cerca de US $ 50 bilhões em 2007. O chefe de gabinete teve de explicar à imprensa que a Argentina não poderia usar suas reservas de divisas para pagar o FMI e enfatiza a recuperação da saúde econômica e fiscal do país como uma das maiores conquistas de Kirchner, assim como faz o PT que só sabe falar de bolsa.
O que também não agrada os EUA é o fato de Kirchner ter desenvolvido relações fraternas com a Venezuela e Cuba, países que vivem em conflito com os EUA.
Além disso, a reportagem cita que a influência de Kirchner continuou com o fim do mandato porque ele criou a Unasul, um organismo para equilibrar a influência dos Estados Unidos. Assim como ele ajudou a colocar sua esposa, Cristina Kirchner, na Casa Rosada para representá-lo. Isso me lembra Dilma e Lula.
Após a reportagem há comentários de pessoas dizendo que um ladrão morreu. Outros já dizem que foi o melhor presidente em 50 anos. Meus pêsames, Cristina!

  • Brasil visto por americanos

Eu também sempre quis saber o que a mídia, quando investe seu tempo para falar do Brasil, o que pensam e o que produzem. Recentemente o “The New York Times” produziu um vídeo de quase seis minutos sobre a favela Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, o processo de pacificação nas favelas e a preocupação com a Copa do Mundo e as Olimpíadas que serão sediadas pelo Brasil. 




Infelizmente, é assim que eles conhecem o Brasil. Espero que a Copa do Mundo e as Olimpíadas possam mostrar o que de melhor o Brasil oferece.
A minha amiga Judy comentou com a mãe dela sobre ir ao Brasil e o conselho que recebeu foi: “Não vá ao Brasil”. Mas eu expliquei que temos muitas outras coisas boas, bem diferentes do que a mídia mostra.



Próximo post: Eleições no Brasil e nos EUA. Só para adiantar, li uma reportagem em que o título é: “Dilma: de guerrilheira fugitiva à nova presidente do Brasil”.